quarta-feira, 11 de março de 2015

Basta a cada dia o seu mal

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mateus 6:34)

Em uma das muitas sábias conversas que tive com meu primo Daniel, ele me fez refletir sobre esse versículo e, principalmente, na frase final: Basta a cada dia o seu mal.

Vivemos num mundo mal, que nos pressiona a todo instante, com cobranças, pessoas mal resolvidas ao nosso redor, problemas seus que também precisam ser resolvidos por outras pessoas... mas devemos nos perguntar: Até que ponto devemos deixar essas coisas atravessarem nossas vidas?

Quando as preocupações da vida nos acometem e nos perturbam, causando-nos sensações terríveis e até sintomáticas (mal-estar, ânsia de vômito, dor de cabeça, entre outros), devemos nos perguntar se estamos, de fato, confiando no Deus que nos prometeu cuidar de cada detalhe de nova vida.

Todos já devemos ter nos perguntado como conseguimos viver situações, às vezes, tão devastadoras e desastrosas, e, além disso, como insistimos em ficar remoendo e em entender o que está acontecendo, tentando buscar uma solução. Porém, lendo o devocional Terminando bem seu dia,* de Joyce Meyer, eu me surpreendi com uma revelação a respeito dessa confusão que, muitas vezes, nos atormenta: “Deus não quer que você tente entender todas as coisas que acontecem em sua vida. Ele sabe o que está acontecendo, porque está acontecendo, e Ele está no controle”.

Quantas vezes, as preocupações e as confusões da vida apenas sumiriam se simplesmente parássemos de tentar entender tudo e descansar no Senhor? Como diz Salmos 37:7: “Descansa no Senhor, e espera nele”. Devemos realmente nos perguntar se vale a pena ficar remoendo e pensando naquilo que não satisfaz a nossa alma, que só traz verdades infundadas com soluções equivocadas, para, enfim, deixarmos a melhor solução nas mãos de Deus.

Nesse mesmo devocional, Joyce Meyer ainda complementa: “[...] você não tem de se preocupar e viver em confusão. Parece soar muito fácil, mas você pode ser totalmente liberto do tormento da confusão apenas ao recusar-se à tentação de tentar compreender todas as coisas. Assim, confie em Deus para cuidar de tudo o que diz respeito a você e desfrute uma vida tranquila”.

Sendo assim, confiar em Deus é realmente descansar, é libertar-se das preocupações dessa vida, que só trazem tormento e confusão, fazem mal à saúde e te impedem de desfrutar uma vida saudável, tranquila e alegre.

O mundo já é muito mal por si só, você não precisa ficar inventando mais mal na sua cabeça. Deus prometeu cuidar de cada detalhe de nossa vida, e se Ele prometeu, é fiel para cumprir: "Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador" (Salmos 40:17).

Confie em Deus! Já bastam os próprios males da vida! Basta a cada dia o seu mal.

* Fonte: MEYER, Joyce. Terminando bem seu dia: devocionais para cada noite do ano. Tradução de Célia Regina Chazanas Clavello. Belo Horizonte: Bello Publicações, 2013.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Em tempo de crise

A crise faz parte da vida. Tolo é aquele que não entende isso e ainda te critica por você estar em uma. Às vezes, o momento de crise é uma oportunidade de você crescer, de pensar; no momento de prostração, é uma oportunidade de você reconhecer que você mesmo não é nada e que Deus é tudo; é uma oportunidade de chorar em Deus, doer por dentro, recuperar o fôlego, respirar fundo, sacudir a poeira, recobrar as forças e levantar... mais forte. Aí, você aprende a não chorar mais por coisas que você chorava antes, a não se estressar mais por coisas que você se estressava antes, a não perder tempo com pessoas que não merecem sua atenção e a discernir quem deve ou não entrar em sua vida. Ah, se as pessoas soubessem que a crise faz bem! A felicidade não é ausência de momentos tristes ou de crises, mas a capacidade de estar bem consigo mesmo e com Deus, ainda que o mundo esteja desabando ao redor. Porque, no fim das contas, é a graça de Deus que tem que bastar. E, de fato, só ela basta mesmo, e a presença de Deus é o maior prazer.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Rendição

Não há nada que eu possa fazer
Mesmo que eu tente, não consigo entender
O que me resta é me entregar e aceitar
E a Tua vontade fazer reinar

De que adianta todo esforço e toda ação
Se, na verdade, tudo que eu faço é em vão
Do que adianta correr e correr
Se, na verdade, só contigo vou vencer

Não há nada que eu possa fazer
A não ser me render
Acreditar e confiar
Andar e andar
Para enfim chegar
No lugar que eu devo estar
Em Tua presença, Jesus

domingo, 27 de novembro de 2011

Pendências

Todo mundo tem pendências.

Vira o mês, entra o salário, a felicidade vem, mas dura por pouco tempo porque todas as dívidas e contas precisam ser pagas. Lá se foram 75% do seu salário só com comida, condomínio, aluguel, luz, água, roupa... Ou será que foram 200% e você terá que pedir empréstimo ao banco ou usar o cheque especial?

Pendências...

Os limites do cartão de crédito aumentam só para você gastar mais e viver cada vez mais endividado. O padrão de beleza está cada vez mais elevado: já existem os cremes antirrugas para os que têm 25 anos de idade; os esmaltes são de 1001 cores; o salão de beleza está sempre cheio; o seu peitoral tem que ser o mais definido possível e, de preferência, igual a um tanque; o corpo da mulher deve ser igual ao daquela da capa da revista (linda, loira, esbelta... ué? Mas a foto dela não foi editada pelo Photoshop?). Peraí... Será que tudo isso é real ou foi o mundo que criou tudo isso para que fôssemos cada vez mais presos a ele? 

Pendências...

Passamos muitas horas em frente ao Facebook. Precisamos estar conectados. Conectados com o mundo. Conectados com o que todos dizem. Precisamos parecer importantes, badaladeiros. Precisamos mostrar que estamos vivendo. Estamos mesmo vivendo? Compartilhamos links, reclamamos de tudo. Somos politicamente inconformados. Precisamos mostrar que somos inconformados com a sociedade, inconformados com a política. Mas será que estamos inconformados com nós mesmos? Será que alguém para para olhar para o próprio umbigo?

Pendências...

O mundo caminha rápido, está voltado só para o aqui e agora. Esquecemos quem somos, não pensamos. Começamos a viver por viver.

Acordamos. Tomamos café. Ou, às vezes, não tomamos porque estamos atrasados. Pegamos o ônibus (ou o metrô, ou a van, ou a Kombi). Olhamos para o relógio. Contamos os minutos. Se pudéssemos, desaceleraríamos os ponteiros para conseguir fazer tudo o que gostaríamos em tão pouco tempo. Chegamos ao trabalho. Batemos o ponto. Cumprimos nossas tarefas. Chega a hora do almoço. Almoçamos. E depois do horário do almoço, a hora começa a ficar devagar, o sono começa a bater, e tudo o queremos é que o dia acabe logo para que possamos voltar para casa e descansar. Outros nem mesmo gostariam de voltar para casa, pois os problemas estão lá. Se pudessem, emendariam um dia no outro e trabalhariam quantas horas fossem necessárias para esquecer os problemas. Mas enfim... Batemos o ponto. Voltamos para a casa. A vida corrida volta de novo. E os pensamentos estão lá...

Pendências...

Será que eu realmente tenho que comprar todas essas roupas? Será que eu tenho mesmo que pintar o cabelo e fazer chapinha? Será que eu tenho mesmo que comprar o novo modelo de celular, iPad, iPhone? Será mesmo que eu tenho que comprar aquele novo eletrodoméstico da mais última geração? 

Que padrão é esse?

Não sei... Só sei que há pendências demais para serem resolvidas, e se nós não pensarmos nas coisas que realmente importam, vamos receber tudo o que esse mundo globalizado e enlatado diz que temos que fazer e consumir com o seu modismo, vamos passar dia após dia das nossas vidas, vamos fazer cada tarefa, vamos pagar cada conta que devemos a quem quer que seja, mas vamos continuar simplesmente existindo.

Pendências... Pendências essas que não tem nada a ver com a vida do mundo globalizado, que diz o que você deve fazer no aqui e agora. Pendências dentro de nós. Sim, há pendências dentro de nós. E a grande maioria dos seres humanos simplesmente existem e vegetam de acordo com o que esse mundo globalizado consumista impõe, pois, infelizmente, está na moda não pensar.

No meio de toda essa correria, poucos são os que pensam. E, quando pensam, pensam pouco. Mas há outros que pensam mais, que querem ir mais além, que não se conformam com o que está acontecendo em suas vidas e fazem algo para mudar, não só as situações, mas entendem que as situações só podem ser transformadas pela transformação de si mesmos (Romanos 12:2). Por isso, há aqueles que não só existem, mas vivem e fazem uma grande diferença neste mundo, pois buscaram não se amoldar (tomar a forma) ao padrão deste mundo (Romanos 12.2) e estão resolvendo suas pendências.

Se não abrirmos nossos olhos, ficaremos presos somente nas pendências do aqui e agora, e não resolveremos as pendências que só podem ser resolvidas a longo prazo. São as pendências dentro de nós. Acredite: há muitas pendências dentro de nós. Não se exclua disso. Todo ser humano é complexo demais e precisamos ser humildes para reconhecer que, em toda essa complexidade, há muitas pendências, pois, se não fosse assim, não seria complexidade, não seríamos humanos, seríamos super-heróis.

A busca pela análise da motivação interior é uma ótima forma de se descobrir e crescer em autoconhecimento, para que não ajamos somente pelo aqui e agora, conformando-se com as situações e empurrando todos os problemas evidentes para debaixo do tapete, evitando que pendências sejam resolvidas. Pensar em nós mesmos e em toda nossa complexidade interior e pensar no mundo como ele realmente é nos faz entender que somos muito mais do que simplesmente seres humanos que existem.

Portanto, que o nosso alvo (daqueles que foram chamados para não se amoldar aos padrões deste mundo - Romanos 12:2) seja não só buscar o próprio conhecimento (de si mesmos) - para que não sejamos apenas produção em série, meros espectadores e zumbis existenciais -, mas também seja conhecer e prosseguir em conhecer Aquele que nos criou, Aquele que age em todas as coisas para o bem, Aquele que nos comissionou para um propósito muito maior (Romanos 8:28): Deus. Que Ele nos ajude a nos conhecermos melhor e a resolver todas as nossas verdadeiras pendências.

Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém. (Romanos 11:36)

domingo, 29 de maio de 2011

A distância que nos aproxima ou a aproximação que nos distancia?

Eu estava navegando na internet, enquanto fazia outras coisas, e cheguei a uma triste constatação.

Segue minha reflexão.

O homem viaja à lua, consegue explorar o universo, conhecendo outros planetas, pesquisa as partículas microscópicas das células do próprio corpo, dos animais, das plantas, do átomo, conversa com pessoas de qualquer país a qualquer distância, mas está longe de conhecer a si mesmo, de conhecer o outro, está longe de conhecer seus próprios traumas, seus verdadeiros defeitos, aqueles mais profundos. É mais fácil apontar o erro do outro. É mais fácil se relacionar com o outro pelo computador para não se dar ao luxo de se expor e de correr o risco de se ferir.

O advento da internet, apesar de todos os seus benefícios (de fazer com que pessoas de outros países conversem conosco, enviemos mensagens mais rapidamente e grátis, compremos produtos bons e em promoção, e de criar tantas outras facilidades), infelizmente, também contribui para que entremos num mundo da imbecilidade, da futilidade e da superficialidade. Temos mais 1.000 amigos no Facebook e em outras mais redes sociais, mas quantos desses podemos chamar para participar de um tempo junto, de uma conversa amiga, para consolar o choro retido, nos dar um ombro amigo...? Com quantos deles podemos ter uma conversa profunda, abrir nossa alma por inteiro, compartilhar problemas e alegrias, contar para "o que der e vier" como muitos falam em depoimentos virtuais?

Se, de 1.000 amigos virtuais, você tiver pelo menos 3 com quem pode se relacionar pessoalmente e que pode chamar de verdadeiros amigos, você é um tremendo de um sortudo. Mas se, dentre esse pacote todo de gente, você ainda não tiver nenhum com quem contar, você realmente deve parar para refletir e reconsiderar a profundidade ou superficialidade de seus relacionamentos, avaliando se você é um solitário e um infeliz. Não é a quantidade de "amigos" do seu Facebook (ou de qualquer outra rede social) que garante vida de qualidade ou amizades verdadeiras, mas é a importância que você dá ao conhecimento de Deus, ao autoconhecimento, ao seu relacionamento consigo mesmo, com Ele e com as pessoas.

Observe o que Jesus falou: "Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes." (Marcos 12:30,31).

Diante disso, podemos perceber que amar a Deus é essencial para que consigamos amar a nós mesmos e aos outros. E, se não amarmos a Deus e nem a nós mesmos, não seremos capazes nem de amar aos outros. É por isso que o mundo anda de mal a pior... Não consideramos quase nunca as palavras de Jesus, muito menos estamos dispostos a vivê-las...

Considere isso: Um relacionamento íntimo com Deus é a base para relacionamentos mais ricos, saudáveis e felizes. Se seu relacionamento com Deus é escasso, o seu relacionamento consigo mesmo e com as outras pessoas também serão. É Deus que nos revela quem verdadeiramente somos e é por meio do convencimento de nossos pecados que seremos capazes de nos tornar pessoas melhores. É Deus que é especialista em relacionamentos, e o Seu padrão é o amor. Sendo assim, só Ele pode nos capacitar para nos relacionar de uma maneira excelente, verdadeira e amorosa, e não superficial.

Se sua vida não faz sentido, se tudo anda cinza, ou se tudo o que você faz é simplesmente viver mascarado num status de uma rede social, comece a considerar que sua vida precisa de uma transformação intensa por meio de um relacionamento com Deus, pois rede social nenhuma tirará o vazio de seu coração nem fará com que você seja capaz de amar a si mesmo nem aos outros como deveria; muito pelo contrário: as redes sociais podem te fazer acreditar que você está muito próximo das pessoas quando, na verdade, você está cada vez mais se distanciando delas.

Pense nisso! Reflita sobre as palavras de Jesus e deixe ser transformado por elas! Deus quer que você tenha um relacionamento profundo com Ele, para que então você seja capaz de ter um relacionamento profundo com as pessoas que você mais ama.

Seja feliz: Jesus te ama!

domingo, 22 de maio de 2011

O vazio de todos nós

Todo ser humano tem um vazio. Um vazio que o impulsiona a procurar uma motivação para viver, para continuar se relacionando com as pessoas, para ouvir músicas, para ter uma religião, para questionar a vida, fazer uma revolução, revoltar-se contra as coisas erradas, sair com os amigos, entre muitas outras coisas.

Na verdade, eu diria que esse vazio aponta para a eternidade. Já parou para pensar que todos nós temos um vazio insaciável? A gente pode ser bem-sucedido, ter amigos fiéis, honrar pai e mãe, ter pais maravilhosos, ter um relacionamento amoroso bom [e todas essas coisas são muito boas e devem fazer parte de nossas vidas], mas, mesmo assim, vamos olhar para dentro e falar para nós mesmos: “Ainda falta alguma coisa.”. Mesmo se não tivermos todas essas coisas, ou pelo menos só uma delas, ou ter a maioria e faltar uma delas, o vazio ainda vai estar lá para tornar as coisas ainda piores e para fazer você dizer para si mesmo “Ainda por cima, ainda falta alguma coisa.”.

Esse “Ainda falta alguma coisa.” nos faz buscar plenitude, inconscientemente e de uma certa forma, nas coisas mencionadas acima e em muitas outras, e acabamos, quase sempre, nos frustrando com todas elas. Como não sabemos de onde vem esse vazio nem como preenchê-lo, vivemos em função de uma busca diária por algo novo. Muitas das vezes, muitos nem sabem que têm esse vazio, mas vivem em busca de algo que possa trazer sentido a essa louca vida. E o pior é que continuamos insatisfeitos com a vida, entrando em um ciclo vicioso para preencher esse vazio insaciável.

Isso acontece porque essas coisas que são terrenas não podem suprir um vazio que é eterno. Esse vazio que existe dentro de nós é do tamanho de Deus, e só Ele pode preenchê-lo. O vazio aponta para a eternidade, pois só Deus, que é eterno, infinito, perfeito, pode preenchê-lo. Por isso, não adianta buscar a plenitude nas coisas que usamos nem nas pessoas com quem nos relacionamos, pois será em vão.

Mas talvez você esteja se perguntando “Como posso ter acesso a Deus? Ele parece não ser relacionável ou se importar comigo.”. Se você que está lendo este artigo se sente assim, não se preocupe, eu tenho uma boa notícia para você: Deus é relacionável. Ele está não só disposto a se relacionar com você, mas é o mais interessado nisso. Por isso, Ele mesmo estabeleceu um caminho para que pudéssemos nos relacionar com Ele.

Deus ama você e tem um plano maravilhoso para sua vida. Esse plano envolve amor, relacionamento, qualidade de vida, vida em abundância, vida com sentido, vida eterna! Jesus disse: "eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente [com abundância]" (João 10:10).

Deixe Deus preencher todo o vazio do seu coração, pois Ele é o único que pode fazer isso plenamente, e Ele promete vida eterna para todos os que creem nele não só aqui na vida terrena, mas para sempre! "E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna." (I João 2:25)

Para você se relacionar com Deus, você precisa reconhecer que é pecador e que precisa dEle: "porque todos pecaram e necessitam da glória de Deus" (Romanos 3:23).

Além disso, Deus estabeleceu o único caminho, enviando o Seu Filho Jesus: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16). Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim" (João 14:6).

E não pára por aí. Precisamos receber a Cristo por meio de um convite pessoal para desfrutarmos de um relacionamento pessoal com Deus, por meio dEle: "Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo." (Apocalipse 3:20). Nessa passagem, Jesus promete companhia e intimidade. Cear significa participar de um momento especial com você, entrar na sua casa, participar de sua vida. Jesus quer ser seu amigo e preencher todo vazio!

Portanto, não gere expectativas sobre coisas e pessoas para preencher o seu vazio. Deixe Deus transformar sua vida, e preencher o vazio que é do tamanho dEle: infinito e eterno!

Muitos vivem sua vida de qualquer jeito, mas vida com qualidade, vida eterna, só Deus pode te dar!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A simplicidade das borboletas

Resolvi postar hoje sobre algo que acredito que tenha não só a ver comigo, mas com a realidade de muitas pessoas. Sabe quando costumamos sempre dar murros em ponta de faca, sempre correndo atrás de um impossível que não é aquilo que Deus tem pra nós?

Às vezes ficamos correndo atrás das bênçãos, pedindo sinais, enquanto Deus tem uma realidade tão simples pra nós. Só que a simplicidade de Deus parece muito complicada pra nós, pois, para que ela seja concretizada, precisamos depositar toda a nossa confiança nEle. E é isso que para nós, humanos, é muito difícil, pois, às vezes, somos muito autossuficientes, confiando na força do nosso próprio braço, ou até mesmo achamos que podemos dar um jeitinho pra ajudar os planos de Deus.

A verdade é que Deus não precisa da nossa ajuda, mas nós que precisamos da Dele pra que o plano Dele se concretize em nossas vidas. A única coisa que Ele nos pede é confiança e entrega, que o resto Ele resolve.

Estava fuçando algumas coisas na internet por esses dias e acabei encontrando um texto que resume basicamente o motivo de nossos tantos fracassos na vida, e que, de uma certa forma, dialoga com a questão de "corrermos atrás das bênçãos" ou depositarmos nossas expectativas nas coisas erradas ou nas pessoas, quando a Bíblia afirma que nossa confiança deve estar no Senhor para que as bênçãos possam correr atrás de nós: "Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá." (Salmo 37:5, 6 – NVI).

Reparem na simplicidade do texto:

Borboletas

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!


(Mário Quintana)


Viram como é simples? Depositem sua confiança somente NAQUELE que pode superar suas expectativas, que, com certeza, as borboletas (as bênçãos) virão até você.

Abraços a todos.