segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A simplicidade das borboletas

Resolvi postar hoje sobre algo que acredito que tenha não só a ver comigo, mas com a realidade de muitas pessoas. Sabe quando costumamos sempre dar murros em ponta de faca, sempre correndo atrás de um impossível que não é aquilo que Deus tem pra nós?

Às vezes ficamos correndo atrás das bênçãos, pedindo sinais, enquanto Deus tem uma realidade tão simples pra nós. Só que a simplicidade de Deus parece muito complicada pra nós, pois, para que ela seja concretizada, precisamos depositar toda a nossa confiança nEle. E é isso que para nós, humanos, é muito difícil, pois, às vezes, somos muito autossuficientes, confiando na força do nosso próprio braço, ou até mesmo achamos que podemos dar um jeitinho pra ajudar os planos de Deus.

A verdade é que Deus não precisa da nossa ajuda, mas nós que precisamos da Dele pra que o plano Dele se concretize em nossas vidas. A única coisa que Ele nos pede é confiança e entrega, que o resto Ele resolve.

Estava fuçando algumas coisas na internet por esses dias e acabei encontrando um texto que resume basicamente o motivo de nossos tantos fracassos na vida, e que, de uma certa forma, dialoga com a questão de "corrermos atrás das bênçãos" ou depositarmos nossas expectativas nas coisas erradas ou nas pessoas, quando a Bíblia afirma que nossa confiança deve estar no Senhor para que as bênçãos possam correr atrás de nós: "Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá." (Salmo 37:5, 6 – NVI).

Reparem na simplicidade do texto:

Borboletas

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!


(Mário Quintana)


Viram como é simples? Depositem sua confiança somente NAQUELE que pode superar suas expectativas, que, com certeza, as borboletas (as bênçãos) virão até você.

Abraços a todos.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A beleza do Salmo 37

Ontem estava meditando no Salmo 37, na Versão NVI. É impressionante como esse Salmo fala sempre ao meu coração. O engraçado é que a palavra de Deus se renova mesmo com a mesma passagem. Lendo esse Salmo ontem, eu pude me atentar a alguns detalhes. Comecei a prestar atenção nos verbos que nele estão no imperativo, e percebi como tudo está tão interligado:

Vejam:
Confie no Senhor e faça o bem; assim você habitará na terra e desfrutará segurança. (v. 3)
Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. (v. 4)
Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá. (v. 5)
Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência. (v. 7)
Evite a ira e rejeite a fúria; não se irrite: isso só leva ao mal. (v. 8)
Desvie-se do mal e faça o bem; e você terá sempre onde morar. (v. 27)
Espere no Senhor e siga a sua vontade. (v. 34)
Considere o íntegro, observe o justo; há futuro para o homem de paz. (v. 37)

E me inspirei e constatei o seguinte:
Confiando no Senhor, nEle eu me deleito e tenho mais prazer e facilidade de entregar o meu caminho a Ele, e de confiar mais e mais Nele, para Ele agir.
Dessa forma, eu descanso no Senhor e aguardo por Ele com paciência, evitando a ira, rejeitando a fúria, não me irritando, desviando-me do mal e fazendo o bem.
Esperando no Senhor, eu sigo a Sua vontade. Sempre considerando o íntegro e observando o justo, pois assim eu sei que para mim há um futuro de paz.

Se pelo menos pudéssemos perceber como isso na prática realmente funciona, faríamos dos ensinamentos da Bíblia nosso verdadeiro estilo de vida.

Eu estou empolgada a viver dessa forma. E vocês?


Primeiro, confiem em Deus, que o resto flui como está descrito acima...

Graça e paz sejam com todos, em nome de Jesus. Amém. :)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Uma mensagem muito importante

Eu não sei bem quem sou, mas sei o que eu não sou. Eu vivo neste mundo, mas não sou deste mundo. Não quero viver como este mundo, onde só há pessoas que não são pacientes e bondosas; onde só há pessoas invejosas, orgulhosas, arrogantes, grosseiras, que sempre exigem que façam o que elas querem, que só buscam os seus próprios interesses, suas próprias verdades, que se irritam com facilidade e sempre suspeitam do mal que os outros lhe possam fazer. Pessoas que só ficam satisfeitas com a injustiça e que sempre se alegram com a mentira, que sempre desistem e perdem a fé, que nunca têm esperança e nunca perseveram.

Não quero pertencer a este mundo onde impera todas essas coisas por causa da ausência de Deus e, consequentemente, amor na vida das pessoas.

Jesus disse que, nos últimos dias, por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriaria (Mateus 24:12).

Deus é amor. Logo, se as pessoas não tem Deus, elas não tem amor.

Que exagero!

Não, não é exagero. O amor não é isso que o mundo entende. O amor não é paixão, não é lascívia e não é sexo. O verdadeiro amor é muito diferente do que achamos, pensamos, imaginamos, desejamos ou ousamos pensar. O amor não tem o padrão deste mundo. O amor tem um padrão muito mais elevado e excelente:

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta.
O amor nunca perece.
Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. Porém, o maior dele é o amor.

(Bíblia, I Coríntios 13:4-8, 13 – NVI)

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha.

(Bíblia, I Coríntios 13:4-8, 13 – Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Sabendo da existência deste amor tão puro, tão infinito e verdadeiro, eu não posso me conformar com o amor que este mundo oferece:

Não estou conformada!
(Romanos 12:2)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Democracia?

Se a Dilma ganhar as eleições me sentirei completamente ofendida como cidadã brasileira. É triste ver a sociedade brasileira apoiando uma mulher que simplesmente segue a trilha de um governo cheio de pequenos favores, poucas melhorias, mas não de reais melhoras.

Se a Dilma ganhar as eleições, será o sinal de como o povo brasileiro sofre e persiste na mesma carência desde que se tornou uma nação: a inteligência.

A falta de investimento na educação é tão intencional na política brasileira justamente para que seja mantido esse ciclo de ignorância e não se resolvam os problemas em suas raízes.

Nisso, o povo brasileiro é enganado dia após dia de que está havendo melhorias, quando, na verdade, os políticos estão simplesmente fazendo a operação “tapa buraco”. Preferem continuar nesse processo do que retirar todo o solo e calçá-lo todo novamente, ou seja, curar o problema pela raiz.

E, dessa forma, o povo brasileiro é tão facilmente manipulado com pesquisas de IBOPE, campanha pública eleitoral do “fiz e aconteci”, com paternalismos e maternalismos hipócritas. É muito simples encher quase meia hora de campanha política com todos os “bens feitos” de um mandato, cheio de depoimentos de pessoas que fazem parte de uma minoria que se contenta com pouco e que persiste em viver no pouco, porque não lhe foi dada a capacidade de pensar além.

Quero ver quais serão os candidatos que terão coragem de mostrar em sua campanha eleitoral política quanto dinheiro deixaram de investir na educação, na saúde e em tantos outros setores carentes da sociedade. Quero ver quais candidatos terão coragem de entrar nas favelas e mostrar a real, verdadeira, nua e crua criminalidade das mesmas, mostrar os bairros sem saneamento básico, as pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza, a quantidade de semianalfabetos e analfabetos que permeiam esse país, as clínicas ilegais de aborto, a realidade dos hospitais públicos, a realidade de uma família que tem que sobreviver com um salário mínimo, a realidade de um dia a dia de uma escola municipal do Rio de Janeiro, a vida diária de um mendigo...

Quero ver quem terá coragem de se autodenunciar e se arrepender de cada centavo que roubou do dinheiro público e ainda pagar a cada brasileiro tudo que deve pela sua corrupção.

É tão triste ver o povo sofrendo e ao mesmo tempo pagando pelas suas decisões eleitorais que são tão limitadas intelectualmente. Povo que escolhe e persiste em escolher o errado. Povo que vota por beleza de candidatos, por pequenos favores prestados, por pequenas manipulações e doações, por propaganda eleitoral que mais parece que foi feita por uma empresa de Marketing do que baseada no compromisso e na responsabilidade que o candidato deve ter. Povo que vota, mas depois de um tempo esquece em quem votou. Povo que reclama das dificuldades, mas não se manifesta para os políticos fazerem cumprir os seus direitos. Povo omisso. Povo sem conhecimento. Povo que é produto da falta de investimento em educação. É o ciclo vicioso dessa falta de investimento.

O problema do povo brasileiro é que ele se contenta com pouco. Enquanto continuar nesse processo, será lamentável continuar vendo os países de primeiro mundo crescendo, e o Brasil ainda ter que lidar com índice de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza e com analfabetismo (sem repetir os outros problemas mencionados acima, entre muitos outros).

Dizem por aí que temos democracia, mas de que vale a democracia se não a usamos de maneira correta? De que vale a democracia se uma pequena porcentagem sabe raciocinar, mas a grande maioria é bitolada, matuta e pacata? Democracia mesmo seria se todos pudessem perceber o óbvio: a safadeza e a corrupção política pública! E ainda mais: não só perceber a safadeza e a corrupção política pública, mas votar contra elas! Pois o que mais vemos são políticos que têm o histórico mais sujo do que chiqueiro se candidatarem. E o pior: serem reeleitos!

Só teremos democracia de verdade quando todos os brasileiros tiverem a mesma oportunidade de ensino e educação e, por isso, as mesmas condições de criticar e racionalizar. Não só isso, mas penso que só teremos uma verdadeira democracia quando as propagandas políticas eleitorais forem divididas em tempos iguais para que cada candidato possa mostrar igualmente os seus discursos. Democracia? Meia hora pra "uns" e alguns minutos ou só uns segundos pra outros? Ham?

É tão triste continuar neste Brasil: um país tão rico, cheio de beleza, mas ao mesmo tempo tão pobre intelectual, espiritual e politicamente.

Rogo e faço um apelo: Que todos os universitários inteligentes e intelectuais neguem-se a votar a favor da campanha manipuladora, e conversem com as pessoas com quem tem contato. Nós que temos acesso às informações e podemos ser os futuros líderes (futuro da nação) somos responsáveis por conscientizar nossos conhecidos. No dia 3 de outubro, diga não à Dilma e vote em quem realmente tem competência. Meu voto vai para Marina 43, e o seu?

Obs.: Sei que o voto é secreto, mas a propaganda eleitoral não!

Pense, mas não só pense, investigue, mas não só investigue, faça valer a realidade dos fatos!

Contra a corrupção e a lavagem cerebral, na luta pelo 2º turno: vote Marina 43!

Texto redigido por Milena Moraes
Estudante formada em Bacharel (Letras / Português-Italiano) na UFRJ e Licencianda pela mesma universidade, indignada com a baixaria, corrupção e manipulação de massa na política brasileira.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Quando tudo diz que não

Às vezes, vivemos momentos em nossas vidas em que todas as circunstâncias apontam para o desespero, a derrota, o desânimo, as lutas, as perseguições, as angústias, as fraquezas, incentivando-nos a desistir de continuar a caminhar, desistir dos nossos sonhos e perdermos o foco. Tudo contribui para dizermos não à vitória, que para nós já está garantida, não porque merecemos, mas pela graça de Jesus.

Mesmo tendo o Vencedor ao nosso lado todos os dias, sentimo-nos fracos, não sentimos sua presença, e até duvidamos se Ele realmente está conosco.

Entretanto, não podemos deixar que quaisquer circunstâncias sufoquem a nossa fé. Devemos crer que o Deus do Impossível está ao nosso lado, trabalhando a nosso favor, mesmo que em silêncio, ou, aparentemente, distante.

Por isso, deixo para nossa reflexão a letra de uma música que veio a minha mente repentinamente, mas falando divinamente ao meu coração:

Quando tudo diz que não
Sua voz me encoraja a prosseguir
Quando tudo diz que não
Ou parece que o mar não vai se abrir

Eu sei que não estou só
E o que dizes sobre mim
Não pode se frustrar
Venha em meu favor
E cumpra em mim teu querer

O Deus do impossível
Não desistiu de mim
Sua destra me sustenta
E me faz prevalecer

(Música "O Deus do impossível ")



Outra música que fala também profundamente comigo com relação às circunstâncias é uma antiga que quase todos os cristãos conhecem:


Esta paz que eu sinto em minha’alma
Não é porque tudo me vai bem.
Esta paz que eu sinto em minha’alma
É porque eu amo ao meu Senhor

Não olho as circunstâncias, não, não, não!
Olho o seu amor!
Não me guio por vistas.
Alegre estou!

Este gozo que sinto em minh’alma
Não é porque olho ao meu redor.
Esta paz que sinto em minh’alma
É porque eu sirvo ao meu Senhor.

Não olho as circunstâncias, não, não, não!
Olho o seu amor!
Não me guio por vistas.
Alegre estou!

E ainda que a terra não floresça,
e a vide não dê o seu fruto,
E ainda que os montes se lancem ao mar,
e que a terra trema, eu hei de confiar!

Não olho as circunstâncias, não, não, não!
Olho o seu amor!
Não me guio por vistas.
Alegre estou!

Aleluia, glórias, aleluia! Aleluia dou ao meu Senhor!
Aleluia, glórias, aleluia! Aleluia dou ao meu Senhor!



Como a música acima fala, não devemos olhar as circunstâncias para medir se Deus se importa ou não com a gente, devemos crer que, independentemente das circunstâncias, Ele nos ama e se importa conosco. As circunstâncias produzem crescimento e experiência: "E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado." (Romanos 5:3-5).

Além disso, as circunstâncias nunca terão o poder de nos separar do amor de Deus: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?, Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8:35-39).

Que não permitamos que problemas, circunstâncias ou situações sufoquem o nosso viver diário com Deus e o nosso amor por Ele. Que dependamos DELE cada vez mais para vivermos Nele, por meio Dele, e para a glória DELE, crendo que para tudo há um propósito DELE.

Graça e paz sejam com todos! Amém.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O caminho mais excelente

O amor não é cego, enxerga além.

Não me lembro exatamente onde vi essa frase, mas é por meio dela que gostaria de falar sobre algo que move o mundo, seja pela falta dele ou pelo seu excesso: o amor.

Dizem por aí, quando as pessoas se apaixonam que ‘O amor é cego’, pois deixamos de ver os defeitos do outro, nos prendemos às qualidades, vivemos num mundo de ilusão, etc., etc. Só que essa coisa que as pessoas nomeiam como ‘amor’ não é o ‘amor’ em sua verdadeira essência; essa coisa é a paixão, que nos anestesia por um tempo e nos faz viver um momento de euforia e felicidade em só pensar no outro, em querer estar com o outro...

Essa sensação de estar num mundo ilusório é muito diferente do amor. O amor é uma escolha, enquanto esses efeitos da paixão são os que nos tornam cegos. Logo, não é o amor que é cego, é a paixão que é cega. Vejamos a definição que o Wikipedia nos dá para ‘paixão’: “A paixão é um forte sentimento que se pode tomar até mesmo como uma patologia provinda do amor. Manifestada a paixão em devida circunstância, o indivíduo tende a ser menos racional, priorizando o instinto de possuir o objeto que lhe causou o desejo. Sendo assim, o apaixonado pode transcender seus limites no que tange a razão e, em situações extremas, beira a obsessão.”

Diferentemente dessa sensação patológica (paixão vem de ‘pathos’ do grego), o amor não está diretamente ligado somente à vida sentimental de alguém (em relação ao sexo oposto). O amor ocupa e deve ocupar diversas áreas dos nossos relacionamentos (pais, filhos, amigos, familiares, colegas de trabalho, vizinhos, etc.).

O amor está muito mais ligado aos nossos comportamentos do que aos nossos sentimentos; tem mais a ver com nossas motivações e em querer agradar ao outro, ao mesmo tempo que tem a ver conosco mesmo.

A Bíblia tem uma definição muito desafiadora sobre o que é o amor. O apóstolo Paulo, na intenção de transmitir a uma igreja com valores completamente distorcidos, nos deu a seguinte definição de amor em I Coríntios 13:

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha.” (v.4-8)

Como podemos ver, em quase tudo o amor se distingue da paixão. A paixão, que muitas vezes, pode acabar se tornando uma obsessão, pode fazer com que uma pessoa: esteja sempre buscando seus próprios interesses; se irrite por causa do outro; suspeite o mal, porque se ardiria em ciúmes; seja muitas vezes injusta, por suspeitar do outro quase sempre; conte mentiras para conseguir atingir seus objetivos; não espere o tempo certo de as coisas acontecerem, fazendo com que não se pense nas consequências; seja completamente egoísta e nem tudo suportar; seja muitas vezes irracional.

Em contrapartida, o amor é um nível muito mais excelente de comportamento. Buscando o significado de cada palavra dos versículos anteriores e também dos seus antônimos no dicionário, consegui chegar às seguintes conclusões a respeito do amor e dos comportamentos naturais de uma pessoa motivada e movida por ele:


  • O amor é sofredor – O amor faz você sofrer quando vê alguém sofrendo; faz com que você se coloque na posição do outro para que não faça aquilo que não gostaria que fizessem com você; faz você suportar as dificuldades junto com o outro; faz você suportar as dificuldades mesmo que o outro não esteja disposto a suportá-las com você.

  • O amor é benigno – O amor faz você sentir prazer em fazer o bem; é querer bem a alguém mesmo que essa pessoa nos deseja o mal; é agir positivamente com pessoas não muito simpáticas ou que, humanamente falando, não são dignas de nossa atenção e de nosso amor; é ser verdadeiro e honesto consigo mesmo e em tudo o que fizer para você e para os outros. O amor é doar, dar e não esperar nada em troca.

  • O amor não é invejoso – é sentir alegria quando alguém cresce e prospera mesmo que você não cresça e não prospere tanto quanto; é não sentir inveja de quem tem mais do que você.

  • O amor não trata com leviandade – O amor não é leviano; faz você racionalizar, ser prudente e pensar em tudo antes de falar; é sério e verdadeiro em tudo que faz.

  • O amor não se ensoberbece – O amor não nos torna soberbos, ao contrário, nos faz considerar os outros superiores a nós mesmos, o que nos motiva a sempre ajudá-los e a respeitá-los; não faz você falar mal de alguém, pois você nunca se colocaria na posição de juiz, já que você considerar-se-ia inferior aos outros.

  • O amor não se porta com indecência – O amor não faz você se tornar indecente, inconveniente nem obsceno; faz você viver conforme as condições do bom viver, da boa sociedade; faz você ser honesto e adequado; faz você ter um coração limpo e falar coisas puras.

  • O amor não busca os seus interesses – O amor faz você se importar mais com os interesses do outro do que com os seus; é não querer ter conveniência e não agir propositalmente buscando sempre obter lucro, tirar proveito, vantagem com alguém ou com alguma coisa.

  • O amor não se irrita – O amor não faz você ficar irado, não te encoleriza nem te exaspera; faz você saber ouvir o outro antes de falar suas críticas; é respeitar a opinião do outro mesmo que não seja igual a sua; é não querer tentar convencer para provar que está sempre certo; é se dar conta de que nem sempre você está certo; é não ser hostil com quem acabou de ser com você.

  • O amor não suspeita mal – O amor não faz você lançar suspeita mal e errada sobre alguém; não faz você julgar ou supor mal de alguém antes de conhecer a pessoa de fato; o amor não faz você conjeturar, imaginar, julgar, supor sobre alguém baseando-se somente em dados ou informações mais ou menos seguros ou superficiais; não faz você prever sobre alguém confusamente; não faz você desconfiar ou imaginar o pior sobre alguém.

  • O amor não folga com a injustiça – O amor não se alegra nem tem prazer com a injustiça. O amor não é injusto; faz você agir com justiça, dando ou deixando a cada um o que por direito lhe pertence; faz você ficar triste quando vê uns passando necessidade em detrimento da prosperidade alcançada pela injustiça de outros. O amor faz você reconhecer os direitos de alguém a alguma coisa; faz você atender às reclamações e às queixas de quem se ama.

  • O amor folga com a verdade – O amor se alegra e tem prazer com a verdade, independentemente de qual seja. Quando você é verdadeiro, o que você diz está em conformidade com o que você sente e pensa, pois age de acordo com seus princípios, que são certos e verdadeiros. O amor faz você ser sincero e sempre agir de boa-fé. Quando você é verdadeiro na sua comunicação, você expressa fielmente alguma coisa ou acontecimento, diferentemente da meia verdade, que é uma afirmação parcialmente verdadeira ou parcialmente urdida, de modo a iludir pessoas ou escapar a críticas. O amor faz você ser verdadeiro, portanto, você não age para manipular as pessoas, nem para tirar proveito delas.

  • O amor tudo sofre – O amor tudo padece com paciência. O amor é paciente, por isso, faz você aguentar e conter qualquer tipo de sofrimento por qualquer causa ou pessoa.

  • O amor tudo crê – O amor tem confiança e tem fé. O amor faz você crer e ter fé no potencial de todas as pessoas, motivando-as e incentivando-as a crescer.

  • O amor tudo espera – O amor tem esperança. O amor faz você ter esperança em qualquer coisa ou pessoa, mesmo as mais desenganadas. O amor faz você aguardar com paciência algo ou alguém. O amor faz você estar na expectativa de que algo melhor está por vir. O amor espera obter e tem como certo ou muito provável conseguir o que se deseja, mesmo que seja considerado impossível. O amor confia no auxílio e na proteção de quem se ama.


  • O amor tudo suporta – O amor suporta todas as coisas. O amor faz você sustentar quem não tem força e sempre aguentar o peso de qualquer situação. O amor faz você sofrer com paciência ou resignação. O amor faz você aguentar, aturar e tolerar a todas as coisas e pessoas. O amor faz você resistir à ação enérgica e contrária de alguém, e o faz ser firme diante de situações complicadas e difíceis. O amor a tudo se acomoda, a tudo admite, e tudo acha tolerável.

  • O amor nunca falha – Essa frase é um desfecho e uma conclusão de todas as afirmações anteriores, ou seja, o amor é perfeito: o amor sempre dá o resultado desejado, sempre acerta, sempre se compromete com suas obrigações e ao que era devido. O amor sempre chega a tempo. O amor não é cego, enxerga além. O amor é divino.

Diante de todas as definições de amor ditas em I Coríntios 13 e explicadas acima, percebemos que esse é o amor ágape, o amor incondicional. Percebemos que amar como está descrito acima é humanamente impossível, pois todas as reações são contrárias a nossa natureza humana e pecaminosa.

Diante de todo o exposto, nos damos conta que somos o pior dos pecadores.

Mas a boa notícia a respeito disso tudo é que Deus, que é o único ser capaz de amar perfeitamente dessa forma, nos capacita a amar exatamente como Ele ama.

Portanto, quando conseguimos amar com algumas das formas descritas acima, o mérito não é nosso, e sim de Deus, porque ainda há algo em nós em que Deus consegue operar, já que somos apenas um reflexo distorcido e infinitesimalmente menor do que o Deus que nos criou.

Como cristãos, devemos buscar amar como Paulo, divinamente inspirado, nos ordenou, mas não esquecendo que, para isso, precisamos depender de Deus, pois não somos capazes de amar dessa forma somente por nós mesmos.

Que dependamos do nosso Senhor Jesus Cristo para vivermos esse caminho muito mais excelente!

Graça e paz sejam com todos. Amém.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Unidade

Amados, queria que vocês lessem e refletissem sobre esta oração:
"Jesus falou assim e, levantando seus olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti; Assim como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer. E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse. Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra. Agora já têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste. Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado. E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo. Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim. E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja." (João 17)

Toda vez que leio essa passagem, fico muito emocionada, pois é uma oração feita pelo nosso próprio Senhor Jesus Cristo! E quão profundas são estas palavras! Ele orou por nós, por todos aqueles que O receberiam. E nesta oração, podemos perceber que o tema principal é a unidade. Ele pede ao Pai que sejamos um com Ele assim como Ele mesmo é um com Deus. Quando paro para pensar na profundidade dessa palavra, entendo a verdadeira essência do Cristianismo. Com essa oração, o Cristianismo deixa de ser um faz de contas, deixa de ser mais uma religião para ser seguida como muitas outras, ou uma lista de regras que temos que seguir, com os itens e as doutrinas que achamos mais pertinentes, convenientes ou confortáveis para nós. Com essa oração, entendemos o propósitos pelo qual fomos chamados e o de toda a igreja.

Essa oração é a prova viva que ser seguidor de Jesus não é simplesmente segui-lo, mas ser resposta dessa oração. É viver com Ele, deixando que Ele viva em nós e por meio de nós. Dessa forma, seremos um com Deus, pois Jesus já é um com o Pai. E por meio dessa unidade, será muito mais fácil viver a vida abundante que Jesus prometeu ("para que tenham a minha alegria completa em si mesmos" - João 17.13; "eu vim para tenham vida, e a tenham com abundância" - João 10.10), pois será Ele vivendo em nós e por meio de nós. Sendo resposta dessa oração, será muito mais fácil de o mundo conhecê-LO, pois se você ainda não percebeu, Ele deixou para nós essa responsabilidade, mas que dependêssemos única e exclusivamente Dele para conseguir esse objetivo e não dos nossos próprios esforços: "Para que o mundo creia que tu me enviaste" (João 17.21), "para que eles sejam perfeitos em unidade e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim" (João 17.23).

Por isso, meus amados, precisamos deixar Jesus viver em nós e por meio de nós, para que comecemos, de uma vez por todas, a produzir os frutos que Ele quer ver em nós para que o mundo O conheça por meio de nós. Precisamos deixar de pensar que ser cristão é simplesmente seguir uma lista de "certos e errados", cheia de doutrinas feitas pelos homens, quando ser cristão é viver exatamente aquilo que Paulo disse: "e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim" (Gálatas 2.20). Se cada pessoa que se diz cristã vivesse em Jesus como Ele mesmo pediu, uma igreja repleta dessas pessoas seria uma igreja que "vive, não mais ela, mas Cristo vive nela". Dessa forma, a igreja cumpriria o propósito pelo qual Cristo morreu por ela.

Precisamos levar a profundidade da palavra de Deus mais a sério. Precisamos levar a vida cristã mais a sério. Precisamos levar o nosso relacionamento com Deus mais a sério. Precisamos ser a igreja que Jesus Cristo não só sonhou mas orou para que fôssemos. Precisamos nos arrepender por não termos sido essa igreja e por não termos esse nível de profundidade que Jesus pediu: a unidade com o Pai.

Receba Jesus Cristo em seu coração genuinamente e deixe Ele viver em você e produzir em você as transformações necessárias para que o mundo possa conhecê-LO por meio de você. Seja um com Jesus! Seja resposta dessa oração de João 17!

Que a graça e a paz de Jesus sejam com todos. Amém.

domingo, 2 de maio de 2010

Profundidade

Hoje gostaria de falar sobre profundidade, uma palavra não muito refletida no nosso dia a dia em qualquer área de nossa vida devido à falta de tempo e à supervalorização de coisas superficiais.

Por causa disso, gostaria que analisássemos os seguintes versículos: "Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o SENHOR.". A Versão NVI para a mesma passagem fala o seguinte: "Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Então vocês clamarão a mim, virão a orar a mim, e eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração. Eu me deixarei ser encontrado por vocês...." (Jeremias 29.11-14).

Sabe por que não encontramos a Deus ou por que nos sentimos tão longe dEle? Porque não tomamos a iniciativa de encontrá-lo. Deus já tomou a iniciativa de ligar o grande abismo que nos separava dele, enviando o Seu Filho Jesus para morrer na cruz por nós. E o que fazemos para corresponder a esse amor? A resposta é: Nada! O segredo de encontrar a Deus está na inteireza de nosso coração ("me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós"). A minha pergunta é: Temos buscado a Deus de todo o nosso coração? Temos desejado isso mais do que nunca? Temos buscado isso no nosso dia a dia? Abaixo segue a resposta disso tudo e de que não é exatamente tão simples como imaginamos.

Jesus disse "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." (Mateus 6.21 e Lucas 12.34). Onde temos colocado a inteireza de nosso coração? Em Deus ou nas coisas deste mundo? Com o que gastamos o nosso tempo reflete onde estamos colocando o nosso coração. E como somos tão hipócritas em cantar hinos e louvores que dizem exatamente o contrário daquilo que vivemos. Não estamos nem perto de conhecer a Deus verdadeiramente. Gastamos mais tempo na frente do computador, por exemplo, e com outras coisas do que buscando a presença de Deus. Por que é muito mais fácil passar tempo no Orkut, MSN, formspring, com o lazer nas idas ao shopping, passatempo com os amigos, falar da vida dos outros, do que ficar no nosso quarto trancado orando e entoando o nome do Senhor, buscando a Sua presença? Por que é muito mais fácil chamar os amigos para ir ao cinema do que chamá-los para orar? Por que se chamarmos alguns amigos para orar, outros vão rir e até debochar da nossa cara? Por que temos vergonha de orar até diante dos nossos irmãos da Igreja?

Sejam sinceros, meus amados, e respondam estas perguntas. Quando responderem, verifiquem e analisem as motivações de seus corações. Quando você canta "Senhor, A Tua presença me basta", será mesmo que a presença de Deus te bastaria ou você não conseguiria ficar 2 ou 3 dias sem acessar o seu Orkut, seu MSN, seu formspring, mas consegue ficar 2 ou 3 dias e até mesmo uma semana inteira sem pegar na Bíblia ou separar 15 minutos pelo menos para orar? Se você não consegue, sinceramente, o Orkut é mais importante para você do que a presença de Deus. Se a presença de Deus é tão importante (e você sabe que é), por que não gastamos o nosso tempo com ela ao invés de nos prendemos a coisas tão fúteis e tão vazias? Cito o MSN e Orkut, mas estes poderiam ser substituídos por qualquer outra coisa. Se você gasta muito mais tempo com qualquer outra coisa, mas não se dedica em conhecer e buscar a Deus, algo de muito errado está em você. E você não deve se conformar com esta situação.

Por que estou escrevendo tudo isso? Porque precisamos fazer a nossa parte! Sinceramente, estou cansada da carnalidade, mediocridade e futilidade de cada cristão e das Igrejas causadas pela falta de profundidade que nós temos no nosso relacionamento com Deus. E o que descrevi acima é só parte do nosso dia a dia que demonstra esta falta de profundidade.

E o que eu vim fazer aqui é desafiá-los a buscar um relacionamento profundo com Deus. Não se contente com pouco dele. Sabe por quê? Porque quando o buscarmos, Ele revelará aquilo que está em Seu coração e coisas maravilhosas que nem sonhamos e imaginamos: "Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes." A Versão NVI para a mesma passagem fala: "Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece." (Jeremias 33.3). Em outras palavras, Deus está nos chamando para coisas grandiosas, que com a perda de tempo em coisas medíocres e as mentiras que Satanás usa para nos cegar, não conseguimos ter fé nem enxergar que buscar a Deus realmente vale a pena. Se gastamos pouco tempo com o que deveria ser o nosso alvo e se não acreditamos nisso, estamos dizendo a nós mesmos que isso não vale a pena e estamos chamando Deus de mentiroso.

Esquecemos o nosso alvo e aquilo que já foi preparado para nós: "As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2.9). Infelizmente, no nosso dia a dia totalmente tomado de afazeres, esquecemos o nosso alvo mesmo, ficamos tão cegos, tão presos às coisas da modernidade deste mundo, do consumismo, do capitalismo (que até parece mais o capEtalismo) e no meio disso tudo, o nosso coração se esfria, achamos buscar a Deus muito chato, ler a Bíblia se torna um saco! Sério mesmo, pense: Você realmente ama a Deus? Quando estamos interessados em alguém, nós simplesmente fazemos de tudo para estarmos juntos desta pessoa. Estamos interessados em Deus? Reflitam.

Estava conversando com um amigo outro dia e Ele me falou que tinha muita dificuldade de passar tempo orando sozinho com Deus e tinha mais facilidade de fazer isso durante o dia, enquanto fazia as outras coisas. Eu disse para ele que isso é muito bom. Incluir Deus nos nossos afazeres é algo extremamente importante. Mas imaginemos um relacionamento de duas pessoas em que uma delas só falasse com a outra enquanto ou quando estivesse ocupada. Seria meio estranho, não acham? A pessoa que estivesse recebendo a 'nossa atenção' não se sentiria exatamente amada e nem como se estivéssemos dando a devida atenção. É assim que você dá atenção ao Rei dos Reis? Sério, estou falando aqui de passar tempo a sós com o Deus que criou o universo! Vocês não acham que Ele merece um tempo precioso de seu dia? Vocês não acham que seria uma honra dar atenção exclusiva à pessoa mais importante do universo?

Em Apocalipse 3.20, Jesus disse: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.". Quando Ele disse isso, ele estava se referindo à intimidade. Naquela época, para um pessoa ir na casa de outra e ser chamado para cear é porque tinha que haver muita intimidade. Por isso, o que Jesus Cristo quis dizer a Igreja de Laodicéia é que a frieza espiritual e de seu coração vinham da falta de intimidade com Deus. Jesus nos chama a um relacionamento de intimidade e profundidade com Ele, em que passaremos a viver nEle e Ele viverá em nós. Seremos usados por Ele, para Ele, viveremos nEle e através dEle.

Que diante disso tudo, venhamos a mudar radicalmente nossa maneira de ver Deus e estar com Ele, desde a comunhão com os irmãos até o tempo a sós com Deus. Passe tempo com Ele. Quanto mais tempo você passar com Ele, mais parecido com Ele você será. Não tenha medo dEle, pois Ele está pronto para recebê-lo de braços abertos. Ele só quer ser encontrado por vocês: "Eu me deixarei ser encontrado por vocês..." (Jeremias 29.14).

Façam sua parte! Que Deus seja encontrado por vocês em nome de Jesus!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Caos em corações

Eu realmente estou triste com o caos que se instalou entre os jovens desta geração. Fico triste porque os rapazes não entendem os anseios do coração de uma menina e porque nós meninas não entedemos os propósitos e as pretensões de um rapaz. Fico triste quando ocorrem situações em que o ego se sobressai mais do que a valorização e a proteção de um coração. Meninos não sabem como nós meninas somos vulneráveis e meninas não entendem porque meninos são tão insensíveis.

Deus, sei que o Senhor criou ambos os sexos para se complementarem, mas infelizmente temos gerado expectativas erradas com relação ao sexo oposto. Por serem tão opostos, aquilo que as mulheres querem que os homens sejam eles não são, e o que os homens querem que as mulheres sejam elas não são. Por que tanta confusão?

Meninas, por que tanta capacidade de gerar expectativas se não temos o poder de controlar o futuro?
Meninos, por que supervalorizar tanto o amor físico se tudo o que as meninas querem é um amor puro?
Porque tenho tentado explicar esse caos neste século e são poucos os que conseguem enxergar ou concordar?
Onde foi parar a capacidade que tínhamos de enxergar nossos próprios erros?
Onde foi parar o poder de se autoavaliar e autoanalisar para melhorar nossos pontos fracos?
Onde foi parar o nosso foco?
Por que buscamos sempre as coisas erradas?
Por que buscamos sempre e nos prendemos sempre em coisas tão fúteis?

Deus, questiono tudo isso, mas a resposta está e é tão perto do pecado que está em nós! Pecamos, pecamos, pecamos e esquecemos de avaliar as nossas motivações. Nos perdemos tão facilmente e nos prendemos tão facilmente naquilo que não devemos. Se estivéssemos com o nosso coração totalmente voltado para Ti, meninas não se vulgarizariam tanto e perderiam tanto tempo buscando aquilo que para elas já está reservado, não perderiam tanto tempo se iludindo. Se estivéssemos com o nosso coração totalmente voltado para Ti, meninos entenderiam a importância de não defraudar (enganar) e usar situações, iludindo as meninas; entenderiam a importância do conhecer e conquistar ao invés de querer "pegar".

Deus, aqui estou expondo o que o meu campo de visão e o meu discernimento me permitem ver, mas coloco-me à Sua disposição para ouvir a Sua voz, entender e compreender o que está acontecendo com os jovens desta geração em termos sentimentais e relacionamentos amorosos. Sei que as meninas também têm a sua parcela de culpa em muita coisa, pois muitos meninos seriam muito mais santos se elas não os provocassem, e, para ambos os sexos, muito dos nossos pensamentos e olhares seriam mais controlados se deixássemos a sedução para o momento propício.

Deus, toque em nossa mente e gere em nós, todos os homens e mulheres jovens desta geração, a transformação necessária nela para que possamos ser capazes de mudar as nossas atitudes, as que temos deixado a desejar, e que mudemos de direção para um caminho de um amor muito mais excelente.

Agora falo diretamente com vocês que leem esta postagem:
Meninas, vocês precisam entender que a pureza sexual (mente, corpo e coração) de um rapaz também é responsabilidade nossa. Precisamos saber como nos comportar, vestir e o que falar, pois as fraquezas e debilidades deles são muito diferentes das nossas. Eles têm que lutar com o olhar, pois são atraídos pelo que veem. Então, meninas, nada de demonstrar interesse e dar mole se não estiverem certas do que querem, e nada de provocar com roupas indecentes e sensuais, e fazer jogo de sedução, pois isto pode provocar neles o pior que eles têm em si.

Meninos, vocês precisam entender que a pureza sexual (mente, corpo e coração) de uma menina também é de sua responsabilidade. Vocês precisam saber que as nossas fraquezas e debilidades são muito diferentes das de vocês. Nossas fraquezas são mais as emocionais e sentimentais. Então, nada de conversar sobre algo muito meloso ou criar situações românticas para elas se vocês realmente não estiverem interessados. Não queiram jogar com os sentimentos delas. O jogo pode ser gostoso, mas altamente destrutivo para os nossos corações, se na hora que vocês perceberem que não era exatamente aquilo que queriam (como não se envolvem muito emocionalmente), sentirem-se no direito de caírem fora e meterem o pé quando bem entenderem. Isso é altamente doloroso e confuso para nós, as meninas.

Para ambos os sexos, o aconselhável é nunca jogar, nem brincar com as debilidades e fraquezas do sexo oposto. Saber as debilidades e fraquezas dos dois nos ajudarão a ter relacionamentos mais sadios, maduros e, principalmente, cristocêntricos, pois estaremos focando a preocupação com o outro e a felicidade do outro. Não se esqueçam que...

"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O amor nunca perece." (NVI)

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha."
(Almeida Corrigida e Revisada Fiel)
-> Ambas citações retiradas da Bíblia, do livro I Coríntios 13, versículos de 4 a 8.

Meninas, como cristãs, temos falhado muito em como amamos nossos irmãos em Cristo. Meninos, como cristãos, vocês têm falhado em como amam suas irmãs em Cristo. Amar com a motivação certa e com a medida certa é o ingrediente primordial para a cura deste caos entre os sexos opostos.

Obs.: Nesta postagem coloco aqui a responsabilidade e a culpa dos dois sexos de igual para igual. Não estou supervalorizando um em detrimento do outro e estou aberta para receber comentários sobre outras debilidades que possam ocorrer entre os sexos opostos.

Que Deus nos ajude a amarmos uns aos outros como Ele nos amou! Graça e paz sejam com todos vocês. Amém.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Ah, homens...

Estava conversando com uma amiga sobre os homens. Na verdade, estávamos conversando sobre a decepcionante busca de encontrar um homem que verdadeiramente seja digno de nossa atenção. Infelizmente, os meninos da nossa idade estão muito estranhos, são imaturos e não querem saber de coisas muito sérias. Enquanto nós mulheres corremos atrás dos nossos objetivos e já estamos determinadas e sabemos o que queremos, ficamos à espera, olhando ao redor e vendo um monte de manés e meninos que ainda precisam caminhar quilômetros e quilômetros de distância para nos alcançar. E que espera!

Os homens já demoram a amadurecer. Nós mulheres desde muito cedo já aprendemos a cuidar do lar brincando de bonecas (estagiamos desde cedo nesta área) e já sonhamos com o príncipe encantado. Enquanto os meninos brincam de carrinhos, de futebol, aprendem a correr atrás de uma bola... É uma pena que eles realmente não estagiam em se tornar os príncipes encantados com quem tanto sonhamos. Só depois de muito tarde começam a entender que eles foram criados para proteger o coração de uma mulher, de valorizá-la, para protegê-la, para amá-la, que foram criados para serem guerreiros e homens com H maiúsculo. Infelizmente, são poucos que entendem isso e poucos são aqueles com H maiúsculo.

Nós, mulheres, onde ficamos nesta situação? Ficamos a ver navios, aprendendo e amadurecendo com a vida (amadurecendo sozinhas porque são poucos os homens que querem crescer juntos num relacionamento). Ficamos naquela espera, longa espera, e até às vezes, tentativa após tentativa (frustrada) de estar com alguém. E perguntamos a nós mesmas se vale a pena esperar; se há um homem, apenas um homem sequer que possa atender ao anseio de nosso coração.

Meninos e homens, não fiquem assustados e nem sintam-se ofendidos com essa crítica. Vejam esta mensagem apenas como um alerta de como as meninas desta geração sentem-se inconformadas e muito chateadas com a postura e o nível de maturidade dos meninos de hoje em dia (me refiro aos meninos de 20 e poucos anos). Vejam como vocês podem estar perdendo tempo com coisas vãs e inúteis, enquanto poderiam estar se preparando e amadurecendo para aquilo que realmente foram criados: amar uma mulher e ser cabeça de um lar.

Homens, como esperam ser cabeça de uma relação e de um lar vivendo tantas meninices? Tudo bem, não sou contra brincadeiras e coisas engraçadas, pois elas alegram os dias das mulheres. Mas que tal se vocês buscassem o equilíbrio? Maturidade e bom humor podem andar de mãos dadas, não acham? Sabemos que as mulheres lutaram para conseguir um lugar de igualdade perante aos homens na sociedade, mas os homens também esqueceram e perderam, ao longo dos séculos, senso de cavalheirismo e romantismo de que nós realmente precisamos. Precisamos de homens masculinamente e cavalheiramente equilibrados. Será que vocês existem?

Bem, como mulher e serva de Deus, só me resta orar pelos meninos que se tornarão homens e homens que desde já precisam amadurecer nesta vida:

Peço a Deus que iluminem os olhos dos meninos desta geração, que unja os seus pés para que percorram caminhos iluminados, que corram para amadurecer e alcançar as meninas que possam amá-los. Oro para que sejam claros na sua comunicação com as meninas, que não as defraudem e não as façam gerar expectativas erradas, que não as iludam e que nem as queiram iludi-las, nem se aproveitar delas. Oro para que Deus mude suas motivações, que lutem para que sejam puros sexualmente e se guardem, se preservem para se entregar somente para a sua verdadeira amada.

Deixo aqui também um texto para reflexão:
"As Melhores Mulheres pertencem aos homens mais atrevidos. Mulheres são como maçãs em árvores. As melhores estão no topo. Os homens não querem alcançar essas boas, porque eles têm medo de cair e se machucar. Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão, que não são boas como as do topo, mas são fáceis de se conseguir. Assim, as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas, quando na verdade, ELES estão errados... Elas têm que esperar um pouco mais para o homem certo chegar... aquele que é valente o bastante para escalar até o topo da árvore". (Machado de Assis)

Homens, acordem! Não deixem passar as mulheres que realmente valem a pena!

quarta-feira, 31 de março de 2010

Mais uma forma de me conhecer melhor

Gente,
Entrei num site chamado formspring.me. É um site em que todos podem fazer perguntas, até mesmo quem não tem perfil. Se vocês quiserem me conhecer melhor, acessem o meu perfil lá e fiquem à vontade para fazerem perguntas...
http://www.formspring.me/MilenaCMoraes

Fiquem na paz de Cristo que excede todo o entendimento.

sábado, 13 de março de 2010

Fonte de águas vivas


"Deixa fluir o rio, rio, rio de Deus..." (Rio - Nívea Soares)

Igreja, onde está o rio? Aquele rio de que Jesus falou e que é mencionado no Evangelho de João. Bem, na verdade, Jesus falou de uma fonte. Mas se pensarmos em fonte pressupõe-se que exista um rio, certo?

Analisemos o seguinte versículo: Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. (João 4.14)

Quando recebemos a Cristo, recebemos com Ele o Espírito Santo, que é o que produzirá em nós o crescimento na vida cristã, o reflexo de Cristo em nós. Quanto mais cheios do Espírito Santo estivermos, mais parecidos com Cristo seremos, pois o Espírito Santo veio para glorificar o Filho. É impossível viver a vida cristã sem depender do Espírito Santo. É impossível crescer sozinho, através de nossos próprios esforços. Sem Ele, não somos nada, não produzimos nada, somos infrutíferos.

Nós somos templo do Espírito Santo e Ele é esta fonte em nós. Se cada cristão desse o verdadeiro valor ao que Cristo fala sobre esta fonte, você, meu irmão, juntaria a sua fonte com a minha, a nossa com a do outro irmão, e quanto mais irmãos juntos, em comunhão, comum união, comum visão, nós juntos, seríamos o verdadeiro rio de Jesus. Nós cumpriríamos o verdadeiro propósito como Igreja aqui na terra.

Gosto muito destas metáforas. Jesus gostava muito de falar sobre água. Mas ele nunca falava de nada estático ('salte para a vida eterna', 'água viva'). Fonte e rio lembram movimento. Mover, movimento. É impossível ser cheio da fonte, do rio de Deus, do Espírito Santo, sem ser movido pelas suas motivações, pelo Seu amor. Já estamos 'carecas' de saber que o amor não tem a ver só com palavras, mas o verdadeiro amor é provado pelas atitudes. Amor só com palavras são apenas palavras.

Repare que Jesus fala de água viva: Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. (João 4.10). Mas acredito que ele não estava se referindo àquele ser vivo do oceano. Ele queria dizer que a água que o Espírito Santo produziria em nós, nos daria vida, pois sem Ele só podemos obter a morte espiritual.

Querido, se você é cristão e está lendo este artigo, reflita se você permite o verdadeiro rio de Deus fluir em sua vida. Reflita se você estimula a sua fonte a se juntar com outras fontes. Crescer sozinho é inútil. O propósito de Deus é que o homem nunca viva só e que propósito lindo é esse! Se esquecêssemos um pouco os defeitos dos outros e olhássemos para os nossos, gastaríamos menos tempo criticando e nos arpeando contra os outros, compreenderíamos que o mesmo pecado do meu irmão é o meu pecado, o seu pecado, que juntos, fazemos parte de um sistema cristão totalmente falido e que precisa de restauração, arrependimento e reavivamento.

Cristãos, as pessoas precisam ver que em vocês existem verdadeiras fontes. Só assim seremos aquele tal rio, rio de Deus.

Seja a fonte e com o seu irmão seja o rio, rio de Deus.

Deixe esta música falar ao seu coração:
http://www.youtube.com/watch?v=yfw0SeU--ro&feature=related (Rio - Nívea Soares)

Graça e paz sejam convosco!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Imperfeição

Eu sou imperfeita.

Perfeito só Deus. Chega de cobrança!

domingo, 31 de janeiro de 2010

Mudança já!

Emaranhado de transições. Emaranhado de confusões. Emaranhado de desejos. Emaranhado de sensações. Transições. Confusões. Desejos. Sensações... Viver em uma época em que tudo está em transição. Confusão, desejos, sensações.

E nesse emaranhado, sabia que eu não estava tão bem. Mas fui tentando viver minha vida de uma maneira normal, achando que tudo estava bem. Eu sabia que nada estava bem. Estava fingindo pra mim mesma que estava. E nessa mentira, fui me afastando cada vez mais de Deus. Eu pequei, e fui pecando cada vez mais. E mesmo assim estava achando muito normal.

Comecei a viver a vida cristã através dos meus próprios esforços. E mesmo assim estava achando tudo muito normal. Enquanto o emaranhado de emoções fervilhava dentro de mim, eu tentava abafá-los, tentando ver até onde eu conseguia chegar. Pesadelos começaram a invadir as minhas noites. E eu presa a mim mesma no meu próprio "Faça! Faça! Faça!", buscando a aceitação de Deus. Mas a ditatura da religião do "simplesmente faça" para ser aceito por Deus não resistiu. Enquanto eu estava no meu "Faça! Faça! Faça!", Jesus veio devagar, cheio de amor, dizendo: "Feito! Feito! Feito! Milena, já está feito tudo o que eu podia fazer por você. Você não precisa fazer mais nada para eu te amar mais ou para que eu possa te aceitar mais. Venha novamente para o centro do Meu Amor.". Depois que eu entendi isso, me lembrei dos cravos nas Suas mãos, da Sua dor, das Suas cicatrizes. Como eu pude trair meu Salvador? Como eu pude?

Muita dor. Arrependimento. Compunsão. Quebrantamento. Choro. Choro. Choro. Jesus me lembrou da Sua Graça, me lembrou de quanto eu sou pecadora e não posso continuar sozinha, simplesmente tomando minhas próprias decisões, maquiando-as como se fosse as que Ele tem para mim. Ele me lembrou de Sua Graça. E depois do choro, veio a paz. A Sua Paz. O Príncipe da Paz me encheu de paz. Depois veio a alegria. E com a alegria, a emoção de estar novamente em Sua presença. E depois me lembrei como é bom depender de Deus, para que eu continue sendo habitação Sua.

Depois de toda esse emaranhado de sensações, veio a mudança. E é apenas o início da mudança. De dentro para fora. Mudança do meu interior. Mudança da minha mente (Romanos 12.2). Mudança de comportamento. Mudança de decisões. Mudança de atitudes. Mudança de postura. É Jesus vivendo em mim e através de mim. Mudando minha motivações. E tudo pela Sua Graça e pelo Seu Amor.

Só me resta cantar esta música todos os dias para não me esquecer do Seu Amor tão infinito:

Que o meu coração seja quebrantado e humilde
Pra atrair o teu coração
Que o meu coração se mova com a mesma compaixão
Que move o teu coração

Que o teu infinito amor seja marca em tudo o que eu fizer
E aonde for, quero atrair aos teus braços
Todos os feridos, rejeitados
Maltratados pelo mundo
Quero conduzir ao caminho da cruz
Aqueles que estão cegos e perdidos
Iludidos nesta vida

Quero ver com os teus olhos
Sentir com o teu coração

Eu preciso te amar, te amar
E ser movido pelo teu amor

Pois ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos
Sem amor, seria sem nenhum valor
Ainda que eu tivesse dons e aprovação dos homens
Sem amor, eu nada seria
Pois tudo passará, e permanecerá o teu amor

(Te amar - Nívea Soares)

Que a Graça e o infinito Amor de Jesus estejam com todos vocês. Amém.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Tua visão

Não posso deixar de dizer que o que me inspirou a escrever a postagem "(in)dependência" foi assistir o DVD do Ministério Diante do Trono 12, Tua visão. Realmente me senti muito impactada, lavada, renovada. A canção tema deste álbum é linda e deve ser uma oração para a Igreja deste século. Resolvi deixar a letra aqui para mais uma reflexão:

Tua visão
Composição: Ana Paula Valadão Bessa

Tua visão pra minha vida é o que eu quero ter
Os teus propósitos pra mim vou viver
Nenhuma outra ambição a conquistar
Somente uma motivação de Te agradar

Limpa o meu coração neste mundo mal
Ensina-me a viver Teu reino aqui
Tu me deste Tua vida
Pra que eu não viva mais pra mim

Olhar somente a ti
Viver só para Ti
Não me perder de Ti



A paz de Deus esteja com todos. Amém.

sábado, 9 de janeiro de 2010

(in)dependência

Em meio a este mundo tão mau, onde as pessoas são tão egocêntricas, individualistas, egoístas, consumistas, impulsivas e tantas outras coisas, sentimo-nos pressionados e acabamos sucumbindo aos mesmos pecados e a essas mesmas características tão mesquinhas.

Infelizmente, até os cristãos mais fervorosos entram nesse jogo. É um desafio, um verdadeiro desafio. Viver neste mundo, mas não pertencer a este mundo é um verdadeiro desafio. Mas isto só é um desafio, porque temos um outro muito maior que é abandonar o desejo da independência de Deus, abandonar o querer fazer da nossa própria forma. Pelo fato de sempre assumirmos o controle de tudo, de paradoxalmente chamarmos Deus de "Senhor", sem que Ele mesmo seja nosso Senhor, é o que nos torna mais deste mundo do que da nossa própria pátria celeste.

Deixamos de agir como se fôssemos cidadãos dos céus, quando passamos a nos corromper pelos padrões deste mundo. E deixando que padrões deste mundo entrem em nossas igrejas, nos nossos comportamentos, no nosso linguajar, na nossa postura, afetando assim, nosso caráter, nossa imagem, passamos a não fazer tanta diferença e o mundo simplesmente não nos reconhece como Igreja.

É por isso que a Igreja está com uma imagem tão falida, ruim perante as pessoas. A independência de Deus, que é o maior de todos os pecados, a raiz de todos os outros pecados (pois independentes de Deus não podemos viver a Sua vida), está tão impregnada em nosso ser, que simplesmente assumimos uma postura mundana, religiosa, do nosso jeito, jogamos pedra na Cruz e viramos as costas para Aquele que foi o fundador de tudo isso, que é o Início e o Fim de tudo isso.

A Igreja precisa se voltar para Deus, se arrepender, se humilhar, chorar pela sua corrupção, por ter se prostituido, por ter adorado a arrogância e não a Deus, o desamor e não a Deus, a desunião e não a Deus, o poder e não a Deus, o dinheiro e não a Deus, o sexo e não a Deus, a beleza e não Deus, o estrelismo e não a Deus, as contendas e não a Deus, a lascívia e não a Deus... Bem, são tantos os pecados que não caberiam em uma só postagem aqui. Eu me envergonho desta Igreja, eu choro por esta Igreja, que está toda manchada, mal vista, suja, enquanto Jesus espera por uma noiva limpa, pura, santa, imaculada.

Não é de se estranhar que o mundo esteja gemendo e que nele esteja acontecendo tantas tragédias. Enquanto toda a criação espera com ardente expectação a manifestação dos filhos de Deus (Romanos 8.19), a Igreja perde seu tempo se corrompendo, se sujando, perdendo o foco, perdendo a visão e esquecem que Jesus Cristo nos deu um novo mandamento, muito precioso: "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." (João 13. 34,35). Não é de se estranhar que o mundo não reconheça muitas pessoas da Igreja como discípulos de Jesus, ou que até mesmo muitas pessoas não queiram ir a uma Igreja ou denominação específica. Como se vê, o Corpo de Cristo está tão doente que não O reflete; não vive a Sua vida e o Seu amor.

É isso que a independência de Deus faz: perdemos nossa aliança com Ele, e longe Dele, é impossível viver a Sua vida, Seu amor e refleti-LO.

Igreja, está na hora de acordar e rever seus conceitos. Está na hora de receber uma nova visão, vinda dos céus. Está na hora de chorar, de gemer, de se arrepender, de implorar por perdão e por misericórida de Deus. Está na hora também de agradecer a Deus por tanta graça e misericórdia, pois nunca recebemos aquilo que realmente merecemos: "Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5. 6-8)

Distante de Deus, merecemos a morte, pois Ele é a vida. Entretanto, Ele escolheu nos dar a Sua vida por amor, "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3.16)

Jesus nos comprou com Seu puro Sangue, fomos resgatados por Seu amor e tudo que nós O devolvemos é pecado, corrupção. Está na hora de entregarmos todo o nosso ser a Jesus, pois não temos noção do que Ele abriu mão para poder nos dar vida eterna.

Igreja, está na hora de ser o verdadeiro Corpo de Cristo e deixar que Ele seja a cabeça. Está na hora de sermos dependentes de Deus, mas não só dependentes, está na hora de deixarmos Jesus Cristo viver Sua viva em nós e através de nós - deixarmos Jesus Cristo pensar com a nossa mente, olhar como os nossos olhos, tocar com as nossas mãos, sentir com o nosso coração, pisar com os nossos pés. Está na hora de deixar que Jesus, que é a vida, mate tudo que em nós nos leva à morte.

Está na hora de deixar de lado a independência de Deus, pois ser escravo de Cristo é a verdadeira liberdade.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ano novo, vida nova!

Mais um ano se inicia. É, 2010 já está aí. Sempre rola aquelas promessas que fazemos a nós mesmos. Quais foram as promessas que você fez a si mesmo para este novo ano? Quando estipulamos novas metas, para que possamos cumpri-las, devemos focá-las e não esquecê-las. Além disso, devemos meditar sobre nossas motivações. Para que queremos que essas promessas se cumpram? Quais serão os benefícios?

Independentemente do que você traçou para si mesmo, nada do que planejou fazer terá sentido se não estiver baseado em uma pessoa - Jesus.

Jesus declarou algo muito relevante a respeito de si mesmo, que muda a história de toda a humanidade: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim" (João 14.6). Não adianta traçar caminhos se eles não estiverem embasados no único caminho que leva à verdade e à vida. Não adianta ficar preso em suas próprias verdades, se elas não te levam ao único caminho e à única vida. Não adianta viver uma vida que não te leve ao único caminho e não te faça conhecer a única e verdadeira verdade.

Verdadeira verdade? Mas que redundância! É, mas é isto mesmo que quis dizer. Infelizmente, este mundo está cheio de falsas verdades. A gente faz questão de mentir para nós mesmos como mecanismo de defesa e acreditamos nas nossas falsas verdades. Acreditamos nas falsas verdades que nos contam na televisão, nas religiões, em casa, na faculdade, entre amigos, enfim, vivemos num mundo que jaz no maligno (1 João 5.19) e infelizmente aprendemos a ser um bando de mentirosos, sem saber.

A boa notícia acerca disso tudo é que Jesus também disse: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (João 8.32). Que verdade? Qualquer verdade! Qualquer verdade acerca de nós mesmos, qualquer conceito perfeito de Deus que possa nos fazer enxergar de acordo com o Seu campo de visão, seus princípios e ver como nossa vida está uma bagunça, como precisamos mudar muitos conceitos esteriotipados, muita religiosidade. Saber qualquer verdade acerca de nós mesmos nos liberta para que possamos nos arrepender (mudar de atitude e, consequentemente, de direção), e assim, poder viver em liberdade, ser livre em Deus.

Enfim, se você fez planos para 2010 ou ainda pensa em traçá-los, não se esqueça de colocar Jesus na lista. Não se esqueça de embasar os seus projetos naquele que é O Único Caminho, A Única Verdade e A Única Vida, para que sua vida seja verdadeiramente plena, abundante e fundamentada, e para que você seja verdadeiramente livre, livre em Deus.

Só Jesus Cristo dá o verdadeiro sentido à vida, só Ele pode nos fazer ser livres. Ser escravo de Cristo é a verdadeira liberdade. Já disse Stanley Jones: "Se você não se rende a Cristo, se rende ao caos!".

Em 2010, tenha uma vida nova: não seja escravo de si mesmo, seja livre em Jesus!